A Mulher Judia

Em nome de todas as mulheres

No Shabat, eu estava pensando que estamos vivendo um tempo em que quase todo mundo merece um certificado de agradecimento. Crianças e adultos, pessoas casadas e solteiras, pessoas isoladas e aquelas que estão cuidando delas. Todo mundo está se esforçando tanto, se quebrando, mas voltando a levantar. E então vi palavras que Rebbetzin Yemima Mizrahi havia escrito em nome de mulheres em todos os lugares. Obviamente, com todos os desafios que enfrentamos, este texto também poderia ser escrito em nome dos homens:

“Aqui estamos desprovidos de ações diante de Ti para abrandar a raiva, para adoçar a raiva. Para suavizar a raiva em nome de todas as mulheres. Aqui e em toda a Terra. Mas se – infelizmente! – não devemos encontrar favor diante de ti, estamos pedindo favor no mérito das mulheres justas que vieram antes de nós. Em nome das meninas que não entendem o que mudou e por que são subitamente responsáveis por suas avós. Em nome de todas as mulheres solteiras que já estavam sozinhas, mas agora estão duplamente sozinhas e rezam sitiadas para que Jerusalém não as esqueça, mesmo que o Kotel seja banido de seus toques e é proibido que as lágrimas daquela antiga muralha as encontrem. Em nome dos novos pacientes cuja fé permanece. Em nome dos pacientes anteriores que antes da chegada do vírus eram radiantes. Em nome de todos aqueles que deixam de trabalhar, que de repente não sentem nada. Em nome de todas as esposas que não mostram sinais de colapso, mesmo quando ajoelhadas, preocupadas com seu futuro sustento. Em nome das esposas cujos maridos estudam o dia todo, essa esposa de alta tecnologia é professora, mas agora continua mesmo em casa para fortalecer o mundo da Torá. 
Em nome das mães de crianças com necessidades especiais, que já são limitadas e têm medo. Em nome dos divorciados que consolam seus filhos como mãe e têm compaixão deles como pai. Em nome das viúvas que não esperam mais dor. Em nome de toda mulher que espera um filho, esperando a alegria que virá quando ela não for mais a principal prioridade e que seu tratamento não seja mais adiado. Em nome de todas as avós deixadas sós que apenas sentem falta e querem abraçar seus netos. Em nome de todas as mulheres mais velhas, as próprias mães, que correm para deixar as necessidades da vida do lado de fora de suas próprias mães idosas. Em nome de todos os professores que ensinam à distância e chamam seus alunos pelo telefone. Em nome das enfermeiras, as corajosas, as cansadas. Em nome dos trabalhadores do laboratório e dos testadores de vírus. Em nome dos médicos e das parteiras. Em nome de Magen David Adom, técnicos de plantão que medem temperaturas o dia inteiro. Em nome de mulheres abusadas em abrigos que já foram espancadas o suficiente. Em nome de todas as mulheres que riem obstinadamente de tudo e fazem os outros rirem também. Em nome dos alunos que continuam seus estudos, fazem exames e cumprem com as tarefas. Em nome de todas as mulheres que desejam segurar um Seder, estamos diante de Ti em lágrimas, pois como vamos cantar 'kol dichpin' (que toda alma de rua venha e coma) quando a cidade estiver sitiada e como Eliyahu Hanavi virá em nossa casa quando recitamos 'shfoch chamatcha' (derrama sua ira) quando a porta está fechada? 
Então abra uma porta para nós, para o Seu povo, para que possamos ser imunizados. Abra um portão para nós quando o novo mês da Nissan começar. Prometemos alegremente esfregar, limpar, preparar, se Deus quiser, e pedimos apenas uma coisa. Que todos, absolutamente todos, sejam beseder, perfeitamente bem e saudáveis no Seder”.

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar